sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Café da manhã com o Secretário do Meio Ambiente

No dia 10 de dezembro o secretário do meio ambiente do estado de São Paulo nos convidou para um café da manhã antes de sua partida rumo à Copenhague. Xico Graziano faz parte da comissão que representa o Brasil no evento da ONU, o COP15, um acordo que deve susbtituir o protocolo de Kyoto.

Este encontro entre os dirigentes decide os rumos que os países devem tomar com relação à suas atividades que prejudicam o meio ambiente, principalmente as emissões de gases causadores do efeito estufa e consequentemente o aquecimento global.

Os países do Anexo I — assim são definidos os que têm metas obrigatórias tem metas obrigatórias. Já o Brasil e países subdesenvolvidos, não tem a obrigação de levar metas à copenhague, já que metas significam reduções no crescimento ou então investimento em energia limpa. Uma medida em prol do meio ambiente significa, a curto prazo, mexer na economia do país e este parece ser o maior desafio de Copenhague.




O que acontece é que desde que se ouve falar em meio ambiente e propostas de reduções de gases, os Estados Unidos se mostram contra este movimento sendo que estados Unidos junto com a China, ou seja, apenas 2 países são responsáveis por 50% das emissões do mundo todo.

Segundo a Revista Viverde, Xico Graziano disse no encontro com a imprensa, que São Paulo chega à Copenhagen com a lição de casa feita. A Lei Paulista de Mudanças Climáticas, que começou a ser pensada desde o Fórum de Mudanças Climáticas, há dois anos, antecipou os debates da COP 15 e deverá ser modelo para o Brasil. O componente “emissão de carbono” que nunca foi considerado, agora será um dos ítens a ser calculado pela CETESB, na hora de licenciar ambientalmente uma empresa nova ou renovar licenças ambientais.

Outra ação da Secretaria do Verde do Estado, diz respeito ao etanol. Energia renovável e limpa, o etanol sofre restrições quando se fala do manejo do corte e queima da cana de açúcar, de onde deriva. Em recente protocolo de conduta ambiental com o setor sucroalcooleiro, o prazo previsto para 2024 está sendo antecipado para 2014. A produção anual de etanol gira em torno de 16 bilhões de litros, tendo sido cultivados 4,3 milhões de hectares. Desses, 53,8% já foram colhidos mecanicamente, sem queimadas em 2009.

Segundo Xico Graziano, o Governador José Serra deverá participar do encontro dos governadores nos dias 14 e 15 e levará os resultados das ações de São Paulo. Ciente de que, o que está acontecendo é uma mudança na economia mundial, para uma economia de baixo carbono, com novos setores emergentes, o governo de São Paulo chega a Copenhagen com resultados para mostrar.
Xico Graziano declarou ainda, que existem outros desafios a serem enfrentados, como por exemplo, a matriz de transportes, que deverá ser sustentável.

2 comentários:

Anônimo disse...

Você faz um lindo trabalho, Priscila. Parabéns!! Continue neste caminho porque a natureza precisa de pessoas como você!

Um grande beijo

Cecília

Fiscais da Natureza - o Blog não está completo, estamos melhorando a cada dia! disse...

Obrigada querida!!! :)))